DESCASO NO JARDIM PROGRESSO

A população do Jardim Progresso está convivendo com diversos problemas, entre eles:  falta de água, mato alto, lixo espalhado e ruas esburacadas.

O líder comunitário do bairro, Antônio dos Santos, morador do Jardim Progresso há anos, conta que os problemas são variados e apesar do cansaço pela luta por melhores condições, ainda mantém esperança. "Aqui nós encontramos de tudo. Tem muito lugar sem água e o mato alto mostra a falta de zeladoria. A gente espera que a prefeitura nos ajude", disse.

Outro morador do local, Gilson de Camargo, acrescenta mais itens à lista de problemas do bairro. "Realmente aqui está abandonado, precisamos mesmo resolver a parte de esgoto entupido, uma situação muito difícil" , afirma.

Incomodado com a situação, o vereador Jean Corauci (PDT) conversou com os moradores e se comprometeu a buscar soluções, "É mais uma região da cidade esquecida pelo prefeito. Vários problemas crônicos foram constatados, tais como: falta de água, buracos por toda parte, mato alto, entre outros. Além de não termos aqui uma atenção especial na saúde e educação. Quem cuida é a própria população", disse.

Diante disso, o vereador se comprometeu a continuar lutando junto ao executivo. "Pedidos a gente já fez inúmeros, vamos continuar. Agora cabe ao prefeito sensibilizar-se e pensar com um pouco mais de carinho pelo bairro Jardim Progresso, tão esquecido", concluiu.


Mais

CPI do Tapa Buracos protocola relatório no Ministério Público

Os vereadores Jean Corauci, Alessandro Maraca e Paulo Modas, presidente e membros da CPI do Tapa Buracos, estiveram nesta manhã, (29), na sede do Ministério Público para protocolar os documentos gerados pelos trabalhos da comissão.

Foram meses de reuniões e oitivas, além de uma diligência que acompanhou as duas equipes que executam os serviços na cidade, uma da própria prefeitura e outra terceirizada.

Os vereadores apontaram várias irregularidades, que colocam em cheque a qualidade do trabalho. Eles verificaram que os cronogramas não são respeitados, o serviço não é efetuado dentro das normas técnicas (com recorte, limpeza e remendo), há desperdício de materiais e em alguns casos a compactação não é feita.

Essas e outras conclusões estão inseridas no relatório entregue esta manhã ao Ministério Público, que deve investigar o caso. A Comissão irá acompanhar atentamente o desdobramento.

Mais

CPI da Tapa-buracos ouve especialista em pavimentação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a maneira de como é conduzida a Operação Tapa-buracos em Ribeirão Preto ouviu nesta segunda-feira, 25, o professor José Leomar, doutor em Engenharia de Transporte com pesquisas na área de pavimentação. Compõe a comissão os vereadores Jean Corauci (PDT), Adauto Marmita (PR), Alessandro Maraca e Paulo Modas (PROS).

O professor se dispôs a contribuir com novos estudos e tecnologias para a melhora da pavimentação da cidade. Entretanto, alertou que o problema, de maneira geral, não se trata apenas de trazer novas tecnologias para o município, mas sim, de melhorar a administração e o planejamento da operação.

Leomar explica que é necessário realizar um planejamento de toda a malha viária da cidade, além disso, é preciso incluir no cronograma da Empresa de Trânsito e Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Transerp) os reparos a serem feitos pelo Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto (Daerp). "Não há um diálogo entre a Daerp e a Transerp", comentou.

Segundo o especialista, um estudo realizado por um de seus orientandos mostrou que cerca de 60% dos remendos nas ruas de cidades da região de Ribeirão Preto são feitos pelos departamentos de água e esgoto. “O segmento não pode ser recapeado antes do Daerp intervir”, comentou.

Durante a audiência, foi mencionado que não há, como o professor orientou, um planejamento geral da malha viária da cidade. Nem um cronograma abrangente. A maioria dos serviços, segundo a comissão, são definidos em caráter de urgência, antes das equipes saírem às ruas.

Com o planejamento, também é possível detectar quais ruas mais recebem os remendos da Tapa-buracos. Segundo Leomar, em determinados pontos da cidade não compensa mais realizar o reparo emergencial, apenas o recapeamento total da via resolveria o problema. “Em uma analogia, não adianta fazer um curativo onde a necessidade é de uma cirurgia”, exemplificou o especialista.

Além disso, o professor também alertou que cerca de 90% do custo para se tapar um buraco é gasto com o transporte dos funcionários, do material e do maquinário, do que propriamente com o material utilizado. O gasto com combustível, manutenção dos automóveis, desgaste de pneus e tempo de viagem é o que mais pesa nessa conta. Com um asfalto de qualidade, segundo Leomar, as intervenções seriam reduzidas e, consequentemente, o valor gasto com elas.

Por fim, Leomar orienta que o planejamento das intervenções no pavimento não devem ser objeto de um governo ou tratadas apenas como promessas eleitorais. "Tem que ter continuidade técnica. Não pode depender da vontade de um só prefeito", afirma. 

Pegos de surpresa

Durante a sessão da última quinta-feira, 21, o vereador Alessandro Maraca afirmou que durante uma vistoria em um dia de trabalho da Operação descobriu um indício de fraude. Ao lado dos demais membros da CPI, observaram que o recorte feito no asfalto pela empresa era muito maior do que o buraco. O total da área da marcação, segundo os parlamentares, era o dobro do recomendado.

Com a chegada dos vereadores, os funcionários passaram a fazer os recortes proporcionais.

Segundo medição dos vereadores, recorte seria o dobro do recomendado

Conforme debatido na CPI desta segunda-feira, 25, muitos dos funcionários que realizam o serviço de recapeamento não recebem um treinamento apropriado. Alguns deles são pessoas que cumprem pena no sistema carcerário e realizam o serviço comunitário, sem nunca ter tido experiência na área ou recebido treinamento.

A próxima audiência será realizada na quarta-feira, 3, às 9h, com o atual secretário de Infraestrutura, Luís Eduardo Garcia. Já a nova diligência dos vereadores até o local da obra não será divulgado. A intenção, segundo Maraca, é que nada seja "maquiado nem preparado com antecedência". 

Mais

CPI do Tapa Buracos faz diligência e comprova irregularidades

A Comissão Permanente de Inquérito constituída para apurar irregularidades nos serviços executados pela operação Tapa Buracos, se reuniram na manhã da última quinta-feira, 21 de março, para acompanhar os trabalhos executados pela equipe da prefeitura e também da empresa contratada.

Inicialmente o vereador Jean Corauci, constataram que contrariando o que foi dito pelo então secretário da Infraestrutura, Alexandre Betarello, em reunião da CPI, as equipes da prefeitura não saem para campo com cronograma.

A equipe composta por funcionários da Secretaria da Infraestrutura realiza o serviço emergencial, ou seja, sem recortes e a terceirizada o reparo, que cumpre todas as normas técnicas exigidas.

Assim que os vereadores chegaram na avenida Barão do Bananal, onde a equipe de funcionários da prefeitura estava executando o serviço emergencial, foram constatadas algumas falhas:

- Temperatura inadequada da massa asfáltica

- Compactadora de mão não estava sendo utilizada

- Resíduos retirados na limpeza do buraco, eram descartados na própria via

- Excesso de massa utilizada em cada buraco

Os vereadores seguiram para a Via Norte para encontrar a equipe terceirizada, e também foram constatadas irregularidades.

O primeiro trabalho já executado pela equipe havia sido realizado sem o devido recorte, alguns metros adiante, foi observado que o serviço seguia as normas técnicas, com recorte e limpeza adequada, porém o recorte não seguia as medidas determinadas, sendo muito maior que o necessário, e desta forma havendo um gasto maior de massa asfáltica.

Os vereadores conversaram com o fiscal da prefeitura encarregado de acompanhar a equipe, que afirmou ter ciência de todas as medições de todos os buracos.

Será realizada uma oitiva na segunda-feira, 25 de março, às 15h na Câmara Municipal. Os vereadores irão ouvir José Leomar Fernandes Junior, professor titular do Departamento de Engenharia de Transportes pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.

Mais

VAGA PARA OS FIÉIS DA PARÓQUIA SANTA ÂNGELA

Depois de muita cobrança e trabalho a TRANSERP atendeu o meu pedido e liberou o estacionamento na Paróquia Santa Ângela.

As vagas estavam indisponíveis depois da instalação do semáforo na esquina da Rua Chile com Rua do Professor, esse também foi um trabalho do vereador Jean Corauci com os moradores do bairro.

Agora em horários que não são de pico no transito os moradores e fiéis poderão ter um conforto maior e mais comodidade para participarem das missas.

Continuarei trabalhando e lutando por todos os pontos de nossa cidade.

Mais

DESCASO NO PARQUE INDUSTRIAL TANQUINHO

Estive junto com os moradores do Parque Industrial Tanquinho e das chacaras Geraldo de Carvalho mostrando o abandono que está aquela região.

O mato toma conta dos terrenos, o buracos está por todas as ruas, falta esgosto na Rafael Defina e a ligação da antiga estrada 5 com rua Argentina e rua Rafael Defina fica somente na promessa por parte do Prefeito.

Embora uma empresa particular jogue todo mês terra para tapar os buracos deste trecho, o problema volta e sobra para os moradores a poeira e com as chuvas voltam os buracos.

Venho pedindo para que a Prefeitura De Ribeirão Preto faça uma trabalho nesta região.

Continuarei trabalhando e lutando por todos os bairros de nossa cidade.

#JeanCorauci #JeanTrabalhador #JeanFiscalizador #JeanInovador #ANovaPolítica

 

Mais

Gestor do Bom Prato HC diz não entender motivo de atraso

Os vereadores da Comissão Especial de Estudos do Bom Prato, ouviram, nesta tarde (14), o encarregado pela gestão administrativa e financeira da segunda unidade do restaurante, Everton Ferreira da Silva, que é membro do Instituto de Desenvolvimento Social e da Cidadania Protagonismo, vencedor do chamamento. 

Sobre gestão, Everton disse que a princípio não foi definido o gerente do Bom Prato, mas afirmou ter conhecimento na área por desenvolver outros projetos em convênio com a prefeitura e estado, e estará preparado financeiramente para eventuais gastos não previstos, embora não tenha recebido qualquer repasse para o projeto.Foi questionado sobre os motivos pelos quais o restaurante ainda não está em funcionamento, e porque a inauguração está atrasada. 

"Boa pergunta. Também gostaria de saber. Só posso adiantar que toda a parte documental burocrática está pronta. Encaminhamos e-mail solicitando algumas informações sobre o atraso, mas não podemos colocar uma faca no pescoço do governador", respondeu Everton.

Sobre o aluguel do prédio que sediará o restaurante e o risco de perdê-lo pelo atraso, o gerente disse que segundo a Secretaria de Desenvolvimento Social há protocolo de intenções firmado pelas partes em que o proprietário se compromete a esperar a implantação do Bom Prato e os trâmites de adequações do imóvel para efetivar o aluguel, que deve gerar gasto anual de até 5% do valor do edital, que está em torno de R$ 171 mil.

"Nós como fiscalizadores temos a responsabilidade de zelar pelo dinheiro público. Vamos consultar três corretores para pesquisa sobre o imóvel em questão, que tem proximidade relativa ao HC", afirmou.

Everton foi questionado e negou ter participado de reunião com o prefeito Duarte Nogueira em 5 de fevereiro deste ano, dia em que o Chefe do executivo afirmou em redes sociais estar em tratativas finais para a implantação do Bom Prato.

Ao final do encontro, foi solicitada a documentação geral da instituição e informado que os membros da Comissão farão diligência ao local. Além disso, os membros da comissão oficiarão o governo sobre as declarações das duas primeiras oitivas para explicações. 

Mais

DESCASO NOS CAMPOS ELÍSEOS


Estive junto com os moradores dos Campos Elíseos mostrando o abandono que está a região da antiga fábrica da CIANE, constatei também o abandono das praças.

Embora tenha sido cortado o mato tanto da praça em frente a CIANE quanto da praça Rômulo Morandi, o calçamento e a falta de recolhimento de lixo continuam constantes em ambas as praças.

Já indiquei ao Prefeito para que faça melhorias em ambas as praças e dê uma destinação a antiga fábrica da CIANE.

Mais

PRAÇA DA VILA TAMANDARÉ É LIMPA


Depois de muita cobrança e trabalho a Prefeitura De Ribeirão Preto atendeu o meu pedido e fez a limpeza na praça da Vila Tamandaré, onde estive há duas semanas mostrando o descaso com a praça.


Trabalho para que todo esse serviço seja feito em todas as praças e parques de nossa cidade.

Cobro diariamente a Prefeitura para que faça o seu trabalho e leve aos quatro cantos de nossa cidade, serviço de limpeza das ruas, avenidas, praças e parques com qualidade e agilidade que é o que nossa cidade merece.

Traga também as reclamações do seu bairro, ligue no 3607-4080, pode mandar um zap 98815-0123 ou ainda deixar um recado que terei o maior prazer em atender você e sua família.

Sempre ajudarei no que for em favor de nossa Ribeirão Preto.

Mais